Tudo Sobre a Gripe H1N1

  • Categoria: Saúde
  • 791 Visualizações

FIQUE LONGE DO H1N1!

Doenças são um dos problemas que mais afetam o desenvolvimento humano. Por conta delas, são investidos milhões em tratamentos e procuras para curas, a fim de eliminá-las e manter a população mais saudável. Um dos principais problemas que tem afetado altamente os brasileiros nos últimos tempos é o H1N1, alertando todo o país e mudando muitos hábitos diários.


O inverno exige mais cuidado com relação a doenças infecto contagiosas, por conta da facilidade em que as doenças têm de se alastrar nesta estação. O H1N1, neste ano de 2016, chegou mais cedo ao Brasil e já infectou algumas pessoas durante o verão: somente no mês de março, o número de infectados ultrapassou a soma total de infectados de 2015. Este agravante mostra que os cuidados devem ser mantidos com persistência em todas as estações.

O QUE É O H1N1?

O H1N1 é um vírus que pode gerar gripe em humanos, resultado da combinação dos vírus humanos da gripe, vírus da gripe aviária e vírus da gripe suína (infectando os porcos em simultâneo). Seu nome é proveniente de duas proteínas do vírus, a Hemaglobulina e Neuraminidase, sendo o número 1 antecedente a cada sigla representado pela ordem em que cada uma dessas proteínas foi registrada. Esta doença é uma mutação do vírus Influenza A, também conhecida como Gripe Suína, sendo desconhecida pelo sistema imunológico e dificultando seu combate. A pandemia desta doença, assim declarada pela OMS (Organização Mundial da Saúde), já se alastra desde os anos de 2009 e 2010, quando a população não estava preparada e imune contra este malefício. Por conta de seus sintomas e dificuldades no tratamento, o cuidado diário deve receber uma atenção especial e virar um hábito para todos.

COMO É TRANSMITIDA A GRIPE H1N1?

A transmissão do vírus H1N1 é feita pelo contato direto com animais ou objetos infectados, por meio de partículas de saliva de pessoas passíveis de transmissão, como também de secreções provenientes das vias respiratórias, como a tosse, espirro ou catarro. A transmissão se torna mais fácil quando infectados se encontram em locais fechados e com grande número de pessoas. Por mais que esta doença seja iniciada por porcos infectados, pessoas sadias podem ingerir a carne de porco cozida ou assada, pois o vírus não resiste a grandes temperaturas (como para o preparo de alimentos, tendo uma média de 71° Celsius). O grupo de pessoas mais vulnerável à infecção deste vírus se encontra dos 5 aos 24 anos, maiores de 65 anos, pessoas com doenças crônicas, gestantes, obesos ou com problemas respiratórios.

QUAIS SÃO OS SINTOMAS?

Os sintomas do H1N1 são similares aos de uma gripe normal, por isso são dificilmente reconhecidos e podem passar despercebidos aos leigos. A pessoa infectada terá indícios de febre alta acima de 38° ou 39° de início repentino; dores intensas de cabeça, articulações e musculares; espirros constantes; dores de garganta; coriza; fraqueza muscular; diarreia; vômitos e náuseas; tosse, irritação nos olhos e calafrios. Para casos de evolução, o infectado poderá sentir falta de ar constante e insuficiência respiratória, podendo levar ao óbito.

COMO SE PREVENIR?

Para que a gripe não se alastre e atinja mais pessoas, deve ser evitado o contato direto com outras pessoas que apresentam sintomas de gripe, bem como lavar bem as mãos e braços com água e sabão frequentemente, utilizando também de álcool em gel para evitar demais germes e bactérias. Manter hábitos como a boa alimentação, a prática de exercícios físicos, ingerir bastante água e boas noites de sono também auxiliam na imunização.

E principalmente, é necessário se imunizar através da vacinação anual de gripe que engloba o H1N1, que está disponível para todas as idades nas clinicas privadas; E nas redes públicas, preferencialmente para os idosos, gestantes, crianças e agentes de saúde.

Caso ocorra de uma pessoa infectada no mesmo ambiente que o seu, evite o contato direto com a mesma, utilizar de máscaras de proteção facial para evitar a inalação de partículas expelidas, não compartilhar utensílios de uso pessoal, manter o local arejado e bem ventilado, dentre outros. Para uma pessoa já infectada, deve-se cobrir o nariz e boca com máscaras, para evitar a rápida transmissão.


COMO SÃO FEITOS O DIAGNÓSTICO E TRATAMENTOS?

Um médico especialista irá identificar os principais sinais da doença, por meio de uma conversa prévia, e coletar uma amostra de secreção do paciente infectado para análise. Se a resposta for positiva, o paciente será medicado corretamente pelo especialista e realizar o repouso necessário para a cura. As vacinas contra a Influenza A têm se mostrado bastante eficientes no combate à doença, se ministradas previamente aos períodos de inverno.

Assuntos Similares

Comentários: