O que pode ser quando os leucócitos estão altos?

  • Categoria: Saúde
  • 1052 Visualizações

Um dos exames mais solicitados pelos médicos, é o hemograma. Este tem várias avaliações, levando em consideração as células sanguíneas e a quantidade de leucócitos, hemácias, hemoglobina, hematócrito, índice das células brancas e contagem de plaquetas. Os leucócitos são as células brancas, responsáveis por ajudar na proteção do organismo, fazendo parte, portanto, do sistema imunológico.


Função dos leucócitos

Os leucócitos são responsáveis por combater e eliminar os microrganismos e as estruturas químicas estranhas do organismo humano, capturando e produzindo anticorpos para combatê-los, independentemente de serem ou não patogênicos. Normalmente a contagem de leucócitos em um organismo saudável pode variar de 4 mil a 12 mil células por milímetro cúbito, mas isso varia de acordo com o organismo do indivíduo, e isso permanece com o passar dos anos. Uma determinada contagem, portanto, pode representar problema para algumas pessoas, mas não necessariamente para todos.

Quando há alteração no nível dos leucócitos, pode ser que haja um problema, de forma que se faz necessária uma investigação, independentemente de ser para mais ou para menos. Quando inferior a 4 mil células/mL, o quadro é chamado de leucopenia, e quando está superior a 12 mil células/mL, é chamado de leucocitose. Não se tratam de doenças, mas sinais de que algo pode estar errado no organismo.


O que pode ser quando há leucocitose?

Como mencionamos anteriormente, a leucocitose é a contagem acima do normal dos leucócitos. Esse fator pode acontecer por diversos motivos, mas o mais comum é a presença de processos inflamatórios. Doenças infecciosas agudas, como pneumonia e apendicite, por exemplo, pode ser que haja um aumento intenso nessa contagem de leucócitos.

O valor aumentado, entretanto, pode estar presente em decorrência de gestação, menstruação, exercícios musculares, entre outras condições normais, sem representar necessariamente um problema. Em casos de leucemia, a contagem de leucócitos aumenta para números bastante grandes, podendo estar inclusive acima de 180 mil, casos semelhantes à infecções graves.

Além disso, o aumento pode estar presente em quadros temporários como estresse, infarto, período pós operatório, uso de medicamentos como lítio, corticoides e epinefrina, por exemplo, além de tabagismo. Quadros crônicos também podem ser acompanhados de leucocitose, como alergias, doença de Crohn, parasitoses intestinais, rinite, artrite reumatoide, entre outros.


O que fazer?

O médico que fez a solicitação dos exames de sangue poderá juntar esse quadro a outros exames e outros resultados para definir o que está acontecendo com o paciente. É importante não fazer a automedicação, pois pode ser um sintoma de diversas coisas, como mencionado anteriormente. Procure o mesmo médico que pediu os exames, e siga as orientações para definir o que está acontecendo e qual é o tratamento ideal.

Assuntos Similares

Comentários: