O que pode ser quando a boca amarga?

  • Categoria: Saúde
  • 884 Visualizações

A disgeusia, como é chamada a alteração de paladar, pode ser específica para sabores diferentes, como amargo, doce, e até mesmo inespecífica, sendo relatado um gosto ruim ou diferente. Uma queixa bastante comum feita pelos pacientes aos médicos, principalmente em consultórios de dentistas, é com relação à boca amarga.

Gostos básicos

O nosso paladar identifica cinco gostos básicos, que são o doce, ácido, amargo, salgado e umami (gosto produzido por glutamatos). Podemos ter ainda percepções de gostos, como da gordura ou do metálico, mas não são classificadas. Essas alterações podem acontecer em decorrência de fatores com relação à cavidade bucal, ou ainda por problemas em outras partes do corpo, mas que influem na boca.

Fatores locais

Alguns fatores locais podem causar essa amargura na boca, como as alterações salivares (boca seca), saburra lingual, lesões no epitélio da língua que são causadas por infecções virais e micóticas ou traumas, cremes dentais com clorexidina ou lauril sulfato de sódio, doenças peridontais, cáseos amigdalianos, entre outros.


Boca amarga como consequência de outros fatores

Além desses fatores locais, pode haver outros problemas em outras partes do organismo humano que podem ser causadoras da boca amarga. Entre eles, estão o tabagismo, uso contínuo de álcool, exposição a agentes químicos, como metais e solventes industriais, traumas ou iatrogenias (remoção de terceiros molares, anestésicos locais e cirurgias), neuropatias, epilepsia, alterações neurológicas centrais ou periféricas, mal de Alzheimer, esquizofrenia, enxaqueca, ansiedade, estresse, depressão, transtornos alimentares (bulimia e anorexia), doença do refluxo gastroesofágico, esclerose múltipla, AVC (acidente vascular cerebral), infecções bacterianas no trato respiratório superior ou no ouvido médio, insuficiência renal, doenças do fígado, diabetes, alterações metabólicas fisiológicas ou desequilíbrios hormonais (gestação, TPM e menopausa), hipotireoidismo, hipoglicemia, síndrome de Sjögren, carência nutricional de vitaminas ou micronutrientes, envelhecimento e uso de medicamentos.


Fígado como causador da boca amarga

Apesar de ser uma queixa muito vaga, a boca amarga é um dos sintomas recorrentes nas doenças do fígado, que podem ser hepatites, cirrose, câncer, esteatose, entre muitas outras. É essencial, portanto, analisar um conjunto de sintomas que podem levar até o fígado e, em conjunto, podem definir o tipo de doença que está causando esse sintoma.
Pacientes que apresentam doenças do fígado, além da boca amarga, apresentarão sintomas como náuseas, perda de apetite, emagrecimento e desânimo, mas estes também são sintomas bastante vagos. Podemos, portanto, ficar atentos a outros sintomas.

Ascite, ou barriga d’água, é um dos sintomas para quem tem problemas no fígado, assim como circulação colateral, sangramentos digestivos, encefalopatias, icterícia, manchas roxas na pele, ginecomastia (desenvolvimento de mamas nos homens), teleangiectasias (aranhas vasculares), eritema palmar (palma da mão muito avermelhada) e dores abdominais.


O que fazer?

Quando não se sabe exatamente o que está causando o sintoma, devemos procurar um clínico geral que, de acordo com o relato dos sintomas junto a exames básicos de sangue e de imagem, poderá identificar a área exata que o paciente deve procurar.

Assuntos Similares

Comentários: