Independência do Brasil

  • Categoria: Educação
  • 1006 Visualizações

BRASIL: UM PAÍS LIVRE - 7 de setembro

A independência do Brasil foi um dos fatos mais marcantes para a história do nosso País. A Inconfidência Mineira, liderada por Tiradentes no ano de 1788, também marcou a nação por seus princípios e ideais. Os dois momentos tem muito em comum: libertar o poder da Coroa Portuguesa sobre as terras brasileiras e tornar o Brasil um país livre. Porém, até que este fato se concretizasse, ocorreram muitas situações, atos heróicos e momentos memoráveis.

Em 22 de novembro do ano de 1808, a cidade de Salvador recebeu a família real portuguesa de D. João VI, sendo este chamado de Período Joanino. No dia 28 de janeiro do mesmo ano, D João expediu uma carta que se referia a abertura dos Portos brasileiros para as nações amigas de Portugal, recebendo assim produtos e empresas inglesas, sendo posteriormente (no ano de 18010) assinado um Tratado de Comercio e Navegação para taxar as importações provenientes de outros países. A vinda da família para terras brasileiras se deu por conta da recusa do convite ao Bloqueio Continental, imposta por Napoleão Bonaparte, e tendo chegado às nossas terras. Por conta deste período, o país conquistou grande relevância econômica, cultural e política durante os anos em que D. João VI esteve presente (1808 a 1821). Após o fim da Era Napoleônica (que durou de 1799 a 1815), os portugueses tiveram momentos de queda política, obrigando D. João e toda a sua corte a retornarem a Portugal.

Por conta de todas as suas conquistas no Brasil, o rei deixou o seu filho D. Pedro de Alcântara, de 23 anos, com o cargo de príncipe regente, continuando com todas as suas atividades e reformas por todo o território nacional. Estas atividades passaram a desagradar os líderes portugueses, que gostariam de fazer de Portugal o centro político do Reino Unido (formado por Portugal, Brasil e Algarves), e pediam o retorno imediato de D. Pedro para as terras portuguesas.

No dia 09 de janeiro de 1822, no Rio de Janeiro, recebendo uma carta das cortes de Lisboa solicitando sua retirada completa do Brasil, D. Pedro proferiu uma das frases mais marcantes de nossa história em recusa ao pedido: "Se é para o bem de todos e felicidade geral da nação, diga ao povo que fico". Os liberais do Partido Brasileiro levantaram mais de 8 mil assinaturas para que o Imperador ficasse, mostrando ainda mais interesse e resistência em tornar o país independente. Após esta data, muitos acontecimentos ocorreram para chegar até o momento da independência.

As medidas tomadas por D. Pedro para tornar o Brasil um país livre era de organizar a Marinha de guerra para evitar possíveis ataques, organizou uma Assembleia Constituinte, obrigou as tropas portuguesas a retornarem o seu país e solicitou que todos os pedidos e leis vindos de Portugal deveriam ter o seu “cumpra-se”. O governo de D. Pedro não agradava todas as províncias brasileiras, principalmente lideradas por partidários portugueses e o príncipe realizou viagens a São Paulo e Minas Gerais para apaziguar todas as situações e explicando que os acontecimentos não iriam desencadear possíveis desestabilizações sociais para a população.

Enquanto estava na Bahia, o príncipe D. Pedro recebeu uma carta vinda de Portugal que anulava a Assembleia Constituinte, declarava seu governo como um todo ilegal e exigia imediatamente seu retorno para as terras portuguesas. Outro decreto recebido era de que estaria sujeito as autoridades das Cortes portuguesas, sendo rebaixado para um mero Governador.

Estando em viagem de Santos para São Paulo, no dia 7 de setembro de 1822, e tendo em vista todos os últimos acontecimentos e solicitações de Portugal, D. Pedro levantou sua espada e proferiu as palavras “Independência ou Morte!” frente às margens do Rio Ipiranga, cortando todos os laços que Brasil tinha com Portugal e tornando nosso país livre.

No da 1 de dezembro de 1822, após todos estes acontecimentos, D. Pedro foi proclamado como primeiro Imperador do Brasil, sendo renomeado para D. Pedro I. Ao reconhecer a Independência do Brasil, Portugal exigiu o pagamento de uma indenização de 2 milhões de libras esterlinas, dinheiro este que foi emprestado pela Inglaterra. Após a proclamação, ocorreram revoltas em algumas regiões brasileiras por serem contrárias à independência, que foram duramente reprimidas pelas tropas do Imperador.

Assuntos Similares

Comentários: